URUGUAY


CONSERVAÇÃO DAS SAVANAS DE PALMEIRAS

ESTUDOS DE CASO

UPM

Cerca de 85% das terras no Uruguai são usadas na agricultura, com a maior parte sendo destinada à pecuária. O pastoreio intensivo e o desmatamento destruíram grande parte da savana de palmeiras que cobria o sul do Brasil, o Uruguai e o nordeste da Argentina. Hoje em dia, restaram apenas fragmentos isolados. A conservação de espécies de árvores nativas, como a majestosa palmeira yatay, é uma prioridade nacional, sendo crucial na manutenção da diversidade biológica e na integridade ecológica. 

A UPM Forestal Oriental possui cerca de 200.000 hectares de terras no Uruguai. Cerca de 60% da área está disponível para plantações. Em dezembro de 2009, a UPM Forestal Oriental encomendou um estudo com um especialista local para preparar recomendações de manejo voltadas às palmeiras yatay. Incorporando as conclusões do estudo, a UPM desenvolveu o programa de conservação de palmeiras, que vai ajudar na regeneração dessa espécie de árvore nativa e em seu valioso habitat. Proteger as árvores jovens e maduras e ligar fragmentos isolados de palmeiras vai ajudar a preservar e restaurar a integridade do ecossistema das savanas de palmeiras. Um palmeiral de 200 hectares a cerca de 60 km ao norte de Paysandu, perto das margens do rio Uruguai, é o hotspot para transferência. Leia mais.

Palavras-chave:

Áreas protegidas / Comunidades locais / Gestão da paisagem / Restauração

Aprendendo com o mundo real

O manejo responsável de plantações trouxe benefícios reais para as pessoas e a natureza. Estes estudos de caso demonstram como. 

Termo de responsabilidade: Embora a plataforma NGP reconheça os progressos no manejo de plantações apresentados nos estudos de caso, ela também reconhece que nem todos os aspectos do NGP são necessariamente utilizados nos exemplos. Para uma visão geral a respeito das práticas de manejo de plantações dos participantes, leia aqui.